A Barbárie dos Tempos Modernos

quarta-feira, abril 23, 2003

A ótima médica

Relato verídico :

O especialista recebe uma paciente e pergunta :
- Qual a razão da sua vinda até aqui ?
- Não sei
- Quem a encaminhou ?
- Minha ginecologista
- E ela te disse a razão pela qual você precisaria ir a um especialista ?
- Não. Mas confio nela. É uma ótima medica.
- Tudo bem. Mas o que você sente ?
- Nada.
- Você não tem nenhum sintoma ?
- Não
- E sua ginecologista não te disse nada sobre algum exame alterado, nada ?
- Não.
Quando o médico começou a medir a pressão arterial, a paciente revelou :
- Minha pressão tem subido ultimamente. Sempre meço na farmácia.
- E quando esteve na sua ginocologista, qual o resultado ?
- Ela nunca mede minha pressão. Adoro aquela médica, ela sempre me pede pelo menos 30 exames.
E o médico, meio irônico :
- Ela chega a falar com você ?
E a senhora sem notar :
- Não. Quer dizer, ela só pergunta se eu quero fazer todos os exames, como sempre.

Que beleza ! A imagem de ótima médica que a paciente tem é daquela que pede muitos exames. Conversar com ela e examinar é o menos necessário para ela. Não pensem que isso é incomum e não se surpreendam se se tornar uma rotina, se já não estiver se tornando.

Isso não é algo exclusivo da medicina. A relação entre os homens tem se tornado cada vez mais impessoal. A intolerância que tem caracterizado a convicência social é fruto da idéia coletivista, que faz com que uns não aceitem os outros por serem muito diferentes de si. Portanto, quanto menos comunicação, melhor. E se tiver que haver comunicação, por favor que se sigam as regras ! Nada de argumentos racionais !