A Barbárie dos Tempos Modernos

sexta-feira, maio 16, 2003

" Deus é o interlocutor dos nossos solilóquios mais íntimos. Sempre que uma pessoa fala consigo mesma com total sinceridade e em solidão suprema, aquele a quem essa pessoa se dirige pode com toda razão ser chamado de Deus. Como os senhores podem ver, essa definição burla a birfucação entre a cosmovisão atéia e a cosmovisão teísta. A diferença entre elas emerge unicamente depois, quando a pessoa não religiosa insiste em que seus solilóquios são exatamente isso : monólogos consigo mesma, ao passo que a pessoa religiosa interpreta os seus como autênticos diálogos com alguém diferente dela mesma. Eu acredito que o que deve ser valorizado aqui acima de tudo é a retidão e sinceridade supremas. Se Deus realmente existe, não vai repreender aqueles que se dizem ateus pelo fato de O terem confundido com seu próprio eu e Lhe dado, conseqüentemente, um nome equivocado. "

Viktor Frankl

Não concordo totalmente com esse pensamento, pois as conseqüências da confusão citada podem ser maiores do que se possa imaginar, mas é uma bela passagem de Viktor Frankl.