A Barbárie dos Tempos Modernos

sexta-feira, julho 11, 2003

Os motivos da volta à barbárie

Todo o conhecimento alcançado por Sócrates, Platão e Aristóteles foi orientado pela metafísica. O que significa dizer que, se não fosse pela metafísica, eles não se interessariam em adquirir conhecimento. Eles achariam que nem sequer valeria a pena obter conhecimento. Como toda a civilização ocidental é dependente desse conhecimento alcançado pelos 3 grandes filósofos, isso significa que toda a civilização ocidental é dependente do conhecimento metafísico. Que filósofos e cientistas achem possível hoje desprezar o motivo e a meta pela qual a filosofia e a ciência se originaram, é no mínimo estranho. E é claro isso gera um certo desconforto psicológico em quem não admite a existência da metafísica, ainda que seja um desconforto inconsciente.

Só um selvagem ou um sujeito que não vive sob o legado dessa filosofia poderia se sentir à vontade sem acreditar em Deus. Não estou dizendo que um selvagem não deve ou não pode acreditar em Deus, mas que ele não teria motivos para ter um desconforto psicológico por causa disso. Tenho certeza que todos os materialistas modernos têm um enorme remorso inconsciente por serem materialistas. E sei que isto é uma fonte de sofrimento para eles.

Baseando-me nestas considerações, lanço aqui uma outra tese polêmica : o caminho do barbarismo que o homem moderno vem tomando é parte de uma tentativa de se livrar desse remorso, ou seja, ele está tentando desfazer a sua dependência do legado greco-romano e judaico-cristão para poder ser materialista sem sentir remorso. Portanto, a tentativa de revalorizar a arte e a cultura selvagem, e até a de fornecer uma educação aos jovens em que esses elementos tenham tanta importância quanto à da arte e cultura ocidentais, infinitamente superiores, é parte de um movimento inconsciente de se livrar do remorso adquirido por ser materialista, ou seja, por ser um eterno ingrato com a civilização que possibilitou que ele adquirisse tamanho conhecimento do mundo.

Expliquemos melhor : o legado greco-romano é um fato; a metafísica intrínseca a esse legado é um outro fato. Então, o homem ocidental só tem 2 saídas : ou ele nega esse legado - e aí pode ser materialista sem sentir remorso - ou ele o aceita e tem que prosseguir avançando na metafísica e derivando todo seu conhecimento dela. Só que a metafísica exige que o homem se entregue à busca do conhecimento de corpo e alma, ou seja, exige que ele viva esse conhecimento - e não apenas tome nota dele - , o que é impensável para o homem moderno. Daí é possível concluir o grau de preguiça intelectual em que vive o ser humano hoje. Para não ter que se impor essa tarefa, ele prefere negar tudo que originou o seu conhecimento e voltar à barbárie. Não é algo impressionante ?