A Barbárie dos Tempos Modernos

sexta-feira, agosto 01, 2003

Do livro São Francisco de Assis e Santo Tomás de Aquino, de G. K. Chesterton (uma dica de Fabio Ulanin) :

A afirmação de que "Deus olhou todas as coisas e viu que eram boas" contém uma sutileza que o pessimismo popular não consegue perceber ou é muito apressado para fazê-lo. Trata-se da tese de que não há coisas ruins, mas apenas usos ruins das coisas. Se se preferir, não há coisas ruins, mas somente maus pensamentos; e especialmente más intenções. Só os calvinistas podem mesmo acreditar que o inferno está cheio de boas intenções. É justamente de boas intenções que o inferno não pode estar cheio. Mas é possível ter más intenções com relação a coisas boas; e as coisas boas, como o mundo e a carne, foram distorcidas por uma má intenção chamada demônio. Mas o demônio não pode tornar as coisas ruins; as coisas permanecem como no primeiro dia da criação. Só a obra do céu foi material, a criação de um mundo material. A obra do inferno é inteiramente espiritual.