A Barbárie dos Tempos Modernos

domingo, setembro 14, 2003

A Confusão de Gleiser

Qual a causa da chuva ? A nuvem condensada. Não, a causa é o vapor d'água que se acumula nas nuvens. Não, a causa é a água da terra que se torna vapor. Não, a causa é ...
A causa última de qualquer fenômeno só pode ser abordada metafisicamente. Ao explicar como o fenômeno ocorre, nunca é a causa última que está sendo dada, mas sim causas secundárias, que constituem apenas explicações.

Neste artigo da Folha, Marcelo Gleiser propõe-se a responder se a Ciência é criação ou descoberta, e termina concluindo que é criação, mas por meio de um raciocínio falho, onde a confusão impera.

Começa muito bem, dizendo que "Newton descobriu as três leis do movimento - elas estavam lá, escondidas na natureza, esperando para serem reveladas pela mente certa." Mas depois analisa as explicações propostas por Aristóteles, Newton e Einstein para a existência da gravidade, e diz que elas são criações humanas para explicar o mesmo fenômeno. Depois conclui que "Ciência é uma construção humana, criada para que possamos compreender o mundo em que vivemos."

Ora, o método científico, ou seja, a forma como os cientistas trabalham para desvendar os fenômenos, são mesmo uma criação humana, mas tanto os fenômenos quanto as explicações para a sua ocorrência já existem, e cada vez que o homem aprofunda seu conhecimento apenas torna tudo mais claro. Não é errado dizer que a chuva é causada pelas nuvens condensadas, mas esta é uma explicação superficial. Há um grande avanço quando se sabe que esses vapores vêm da água da própria terra, e assim por diante. Dizer que o homem está criando alguma coisa ao fazer isso é no mínimo estupidez. Receio que Marcelo Gleiser no fundo não seja tão estúpido assim, apenas se utilizou de um artifício para aumentar a fé dos seus leitores na Ciência. Afinal, ela é o seu deus.