A Barbárie dos Tempos Modernos

segunda-feira, outubro 20, 2003

Estupidez vegetal

O sujeito mais estúpido do mundo chama-se Peter Singer. Este caridoso senhor, defensor dos animais, ama-os tanto que lhes concede direitos iguais aos dos seres humanos. E baseia-se num único fato para nos igualar a eles : ambos sentimos dor. Com isso, quer dizer que tanto eles quanto nós sofremos, por isso não devemos comer os bichinhos.

Daí podemos concluir 2 coisas : 1) Um homem anestesiado vale menos que um sapo; 2) Para continuarmos comendo os pobrezinhos, bastaria que os anestesiássemos antes de matá-los.

A partir desse simples raciocínio, já conseguimos alcançar 2 objetivos : 1) Provamos que o fato do animal sentir dor, mesmo que eles sejam, como quer o bem intencionado pensador, iguais aos homens em direitos, não é razão suficiente para que não nos alimentemos deles; 2) Demonstramos que a tese não apenas iguala os animais aos homens, mas ainda torna alguns destes inferiores àqueles, pois há distúrbios raros em que o homem nasce sem a possibilidade de sentir dor. Seus direitos seriam os mesmos de um vegetal, e quem quisesse colher sua orelha para se satisfazer na próxima refeição não estaria fazendo nada de errado.

Os erros básicos dessa teoria : 1) Associar sofrimento a dor, quando se sabe que um ser humano incapaz de sentir dor sofre muito mais do que uma pessoa normal; 2) Desconsiderar o lado espiritual do homem, que o torna infinitamente mais importante do que qualquer animal, excetuando-se, é claro, Peter Singer, de cujo cérebro brotam sementes de abóbora, e do qual podem ser colhidas abobrinhas em qualquer época do ano.