A Barbárie dos Tempos Modernos

sábado, outubro 18, 2003

A Irrealidade Científica

Segundo Santo Tomás de Aquino, Deus é o primeiro na ontologia mas é o último na psicologia. Portanto, o reconhecimento de Deus pelo homem depende da forma como ele vê a si próprio e o mundo que o cerca. Quanto maior sua capacidade de perceber a intensidade do real, mais próximo fica da percepção de Deus.

Quanto mais afastado do homem, menos real parece o mundo. Quem acha que os fatos que ocorrem à sua volta nada têm a ver com ele, está afastando a realidade de si mesmo e tornando menos intensa a sua percepção, e menos intensa também a percepção se si próprio. Só se pode ter uma atitude assim depois que a realidade já se tornou tão intensa que a pessoa já atingiu um outro estágio, no qual sua relação com ela se dá num outro nível, e nele a presença de Deus é bem mais perceptível.

Os cientistas modernos, por exemplo, partem do princípio de que é preciso isolar a realidade para poder entendê-la. Esta é, como se vê, a melhor maneira de empalidecê-la. Não se pode dizer que com isso não se torne mais compreensível, mas é a compreensão apenas da sombra da realidade. No entanto, é impossível fazer isso por muito tempo. A própria realidade acaba chamando você de volta, e é preciso muita insistência para não perceber isso.

A Física Quântica, por exemplo, demonstra bem esse fato. Após chegarem ao limite, descobriram que o experimentador faz parte da experiência, ou seja, que é impossível isolar o experimento, pois o observador interfere ativamente nele. Nesse ponto, a intensidade da realidade voltou a ser percebida em todo seu grau, e é justamente aí que ela se mistura com a vida do pesquisador. A Física Quântica é a maior prova de que a frase de Olavo de Carvalho que citei aqui está certíssima : "a falta de interrogação sobre o sentido da vida, a depreciação desta busca ou sua redução a uma curiosidade acadêmica, como se algo desligado do eixo da vida, isto é o desprezo pelo Espírito." É por isso que muitos dos cientistas que se aprofundaram na Física Quântica passaram a perceber uma outra realidade, que não conseguiam ver antes. Muitos, sem o substrato para compreender o que era aquilo, e sem a humildade suficiente para mudar o rumo de suas vidas, mergulharam num misticismo paranóico.

A realidade para um cientista moderno é apenas um dado de estudo, sem nenhuma relação com o seu eu. E ele é apenas a sombra de um homem, e essa sombra não tem a mínima condição de perceber a presença de Deus.