A Barbárie dos Tempos Modernos

quarta-feira, outubro 01, 2003

Sempre os mesmos : filósofos e sofistas

A divisão do mundo intelectual em filósofos e sofistas continua tendo a mesma validade que tinha no mundo grego. Os sofistas são aqueles que têm como objetivo e guia o próprio homem. Os filósofos os têm em Deus.

Tendo o homem como guia, o sofista transforma-o em animal, e tendo Deus como guia, o filósofo o considera como verdadeiro homem. É interessante notar que tanto um como outro contribuem para o avanço do conhecimento. A diferença está que a contribuição do primeiro se constitui apenas em avanços técnicos, enquanto a do segundo se constitui na verdadeira sabedoria.

Os sofistas contribuíram, por exemplo, para a evolução da retórica como técnica de argumentação, mas não acrescentaram nada ao saber grego. Do mesmo modo, os cientistas modernos, de qualquer área, contribuem tão somente para o progresso da técnica. Esta serve como método investigativo e como meio para resolver problemas práticos do homem, como as doenças, por exemplo. Mas não acrescentam nada ao saber. Por isso também pouco sabem, se formos rigorosos no uso do termo.

Portanto, tanto os sofistas quanto os cientistas ( os sofistas de hoje ) apenas colaboram involuntariamente para que os filósofos ( entre os quais podem estar alguns cientistas modernos ) aumentem o seu saber e a sabedoria do mundo. O mal sempre serve ao bem e nunca o contrário.