A Barbárie dos Tempos Modernos

sexta-feira, novembro 07, 2003

Sobre a prova da existência de Deus - segunda parte

Quando disse que a primeira condição para que se possa provar algo a alguém é a de que esse alguém considere possível a existência daquilo que se possa demonstrar, Fábio Danesi Rossi respondeu que "só é possível provar algo a alguém se este alguém estiver disposto a admitir a possibilidade da improbabilidade do objeto". Isso é verdade na maioria das vezes, mas nem sempre. Se admitirmos que temos que duvidar de tudo, cairemos no erro de Descartes. Há coisas que temos certeza que existe, e essa certeza depende do grau de conhecimento do indivíduo. Quando alguém tenta provar a outro que o homem foi à lua, por exemplo, só um deles tem dúvida, o outro tem certeza do que está dizendo. Mas se o que não acredita no fato disser que nada o convencerá do contrário, então não adianta ninguém tentar convencê-lo.

Então, na verdade, para haver uma discussão, é necessário que pelo menos um deles esteja em dúvida e que pelo menos um deles admita a possibilidade daquilo existir. Sim, porque se os 2 não tiverem nenhuma dúvida ou se os 2 tiverem certeza do que estão dizendo, então não há sobre o que discutir.

Neste caso específico, vou explicar por que, na minha introdução, não me referi à questão levantada pelo Fábio. O problema é que aquele que acredita em Deus não pode ter dúvida sobre isso, porque, se tem dúvida, é porque não acredita. Então, poderiam me dizer : "mas quem não acredita também pode alegar que não acredita e pronto !" É verdade, mas não estará fazendo isso porque seja intrínseco ao fato de não crer em Deus, mas por vontade própria, enquanto o crente não pode ter dúvida sem, intrinsecamente, declarar que não acredita em Deus. O que isso significa ? Que só pode haver discussão sobre a existência de Deus em 2 casos : 1) Entre 2 pessoas que não acreditam Nele, mas que admitem que Ele possa existir; 2) Entre uma pessoa que tem certeza que Ele existe e outra que não acredita mas admite que Ele possa existir. Não pode haver discussão nem entre uma que tenha dúvida da Sua existência e outra que tenha certeza da Sua inexistência, nem entre uma que tenha certeza da Sua existência e outra que tenha certeza da Sua inexistência.

Então quer dizer que quem acredita em Deus é intransigente ? Não ! Quer dizer que é impossível crer em Deus e, ao mesmo tempo, colocar em dúvida a Sua existência, porque uma coisa implica na negação da outra.

Nós, crentes, só podemos discutir com aqueles que estão em dúvida sobre a existência de Deus. Aqueles que têm certeza de Sua inexistência não aceitarão nenhum argumento em contrário.

E é aí que a coisa fica interessante, porque, pelo argumento de Santo Anselmo, a simples admissão da possibilidade de Deus existir, já implica que Ele existe. E o argumento é irrefutável. Infelizmente, este post ficaria muito longo se eu tentasse explicar o porquê.

Portanto, se você tem dúvida a respeito da existência de Deus, leia um pouco de filosofia e tente entender o argumento de Santo Anselmo. Os de Santo Tomás de Aquino também são muito bons.

Observação : as questões sobre o porquê de só Deus ser eterno e de só Ele poder ser causa de tudo e não causado por nada são fáceis de serem respondidas, mas exigem algum conhecimento filosófico, de forma que posso aconselhar a leitura de alguns livros que abordam o tema. Os que estiverem interessados, entrem em contato.