A Barbárie dos Tempos Modernos

sábado, dezembro 13, 2003

Catatonia pré-natalina

Nunca escrevi um só texto neste meu pequeno espaço virtual movido predominantemente pela emoção. Mas acho que é chegada a hora.

Mais um Natal se aproxima. As pessoas notam que ando calado, meio aéreo. Não que seja normalmente falante, mas minha voz tem sido ainda menos ouvida ultimamente. É verdade que tenho rompantes de tagarelice, principalmente quando me fazem perguntas sobre temas que são do meu interesse. Começo a tirar conclusões em cima de conclusões e percebo que muitas delas são novas para mim. Só deixo meu interlocutor pronunciar algumas poucas palavras, o suficiente para que eu chegue a uma dezena de implicações decorrentes daquele simples comentário.

Mas isso é raro. Raríssimo. Apenas minha esposa e uns dois amigos conseguem me tirar da catatonia.

O Natal é hoje uma das maiores provas do mal que assola a humanidade. Não conheço uma única pessoa que aproveite a ocasião para mergulhar na sua fé, para se aprofundar no estudo do cristianismo. Todos só falam em presentes e festas. E a caridade ? Não há ocasião melhor que o Natal para refletirmos sobre isso. O que podemos fazer pelo próximo além do que fazemos, se é que fazemos ?

Nenhuma palavra.

Não me importo que deturpem o que vou dizer, mas o fato é que não é o socialismo nem o nazismo nem o fascismo, que são muito posteriores, mas sim o liberalismo pagão que vem destruindo os valores cristãos, colocando a economia como ponto de partida para analisar o mundo. Que se entupam de jóias, fico com minhas orações.