A Barbárie dos Tempos Modernos

terça-feira, janeiro 20, 2004

O intolerante

Será que é necessário entender de economia para descobrir que o valor de uma mercadoria não depende da força de trabalho empregada na sua fabricação ? Não é a coisa mais óbvia do mundo ? Se não for, é a segunda.

Quem é que não sabe que um uísque envelhecido vale mais que um uísque novo, e que a força de trabalho aplicada para a obtenção dos dois foi a mesma ? Quem não sabe que um diamante vale muito mais do que um carro de luxo, e que para a fabricação deste último foi usada muito mais mão de obra ?

Então como ainda existe quem leve a sério o que Marx disse, meu Deus ?

E o pior, depois vem um sujeito e diz que uma mercadoria vale, na verdade, o quanto as pessoas se dispuserem a pagar por ela. Pronto, volto atrás. A coisa mais óbvia do mundo é esta aqui. Aquela lá é a segunda mesmo.

Depois me chamam de intolerante. Se não bastasse ser óbvio o erro, mais óbvio ainda é o acerto. Estando a coisa assim nesse nível de esclarecimento, não é um sinal de estupidez medonha que alguém ainda se dê ao trabalho de questionar estas coisas ?

Agora, se você quiser conhecer algo que vá um pouco mais além, mas que também não exige nenhum conhecimento econômico, clique aqui e fique sabendo o que tem a ver o liberalismo com a doutrina social da Igreja. Imprima e leia. Vale a pena.