A Barbárie dos Tempos Modernos

domingo, janeiro 18, 2004

O invejoso

Ah como sinto inveja dos que nunca ouviram falar em Noam Chomsky ! Ah como invejo os que não sabem da existência de Charles Chasteen ! Como gostaria de estar no lugar dos que nunca leram Marx, Marcuse e Nietszche ! Como me dói saber que não estou entre os que nunca tiveram que elaborar um argumento contra as teses de Marilena Chauí ! Como meu ser clama por desconhecer a filosofia de Sartre ! Quão grande é minha inveja dos que nunca degustaram um livro de Rubem Fonseca ! Quão sortudos são os que nunca se depararam com as proposições de Feuerbach ! Como gostaria de nunca ter lido Freud ! Como queria estar entre os que nunca se embrenharam na literatura de Chico Buarque !

Esperem. Ia me esquecendo de dizer que um dos meus maiores erros foi nunca ter linkado este blog. Só para degustação :

Às vezes acho que reler é insuperável. Voltar a determinados aposentos e perceber que algumas coisas mudaram mesmo sem ter mudado - sua *percepção* delas é que mudou, o nível do seu entendimento - , ter a chance de notar um subtom na frase de um personagem, uma malícia antes dichavada. Er... camuflada. Sentir o ranger (é quase audível) dentro de seu crânio enquanto paisagens e cômodos obscurecidos recebem nova luz.

Tenho alguns livros que viram ímãs de seis em seis meses, aproximadamente. Parecem dizer: "Ei, você não viu isto! Olhaqui meu Deus, eu não acreditoooo! Que coisa! Vem ver!"

Exibidos.