A Barbárie dos Tempos Modernos

quinta-feira, janeiro 08, 2004

Uma historinha científica

Uma senhora gorda - que acabou de sair do vaso sanitário, onde elaborava planos para matar seu cunhado - está sendo conduzida às pressas por um grupo de cientistas a um moderníssimo aparelho de vasculhar. De vasculhar o cérebro.
- Reze, reze, a senhora não é católica ? Reze, vamos. Pode ser uma oração curtinha.
- Pode ser o Santo Anjo ?
- Claro, claro ! Mas reze com fé !
- Mas é que eu ainda não havia terminado ...
- Ora, vamos, minha senhora, reze logo, esse aparelho é fugaz, pode se desintegrar a qualquer momento.
- Estou rezando, estou rezando, tenham calma.
- Olhem lá, olhem lá ! Estão vendo ? Aquelas moléculas em vermelho ? Nunca fomos tão longe ... olhem, olhem ! Não é impressionante ? Viram como se dirigiram ao córtex occipital quando ela pronunciou "meu zeloso guardador" ?
- Agora reze o Pai Nosso.
- Esperem, estou sentindo dor, acho que preciso voltar ao ...
- Assim a senhora não está colaborando. Pense que será sempre lembrada nos livros de história da ciência. Ajude-nos, vamos.
- Estou tentando, mas acho que ... rummm, ai, humpf, escapou ...

No dia seguinte, na manchete de todos os jornais :

Ciência comprova : a fé é um punhado de moléculas que circunda o lobo occipital.

O Senhor Klaus Campra, responsável pela experiência inédita, conta que a minositina-fascinotina-aldeído-fosforilase provoca um efeito tal que permite que possamos explicar como ocorreram todos os milagres descritos no mundo até hoje.

Só não conseguiram salvar a senhora gorda. Morreu de diarréia infecciosa. E o cunhado viveu feliz para sempre.