A Barbárie dos Tempos Modernos

sábado, fevereiro 14, 2004

Entre as teclas

Acompanhei-a até os últimos instantes. Foi quando ela se esgueirou entre as teclas e desapareceu. Imaginei-a entre fios e circuitos, entre bytes e elétrons, quarks e neutrinos. Desviando-se sabiamente, como todo ser vivo. O que mais poderia fazer além de se desviar? Mas e quando sentisse fome? Haveria alimento na escuridão da engrenagem do teclado? Com certeza, adquiriria a capacidade de transformar toda aquela energia à sua volta em alimento, ou melhor, nem precisaria se alimentar, bastaria sugá-la de algum modo. O que aquela pequena formiga não conseguiria vivendo num ambiente tão hostil? Mas tiraria alguma lição daquilo tudo?

Envolto nesses pensamentos, subitamente me deparo com o inseto sorrindo para mim na tela do computador:

- Ô cara, você não tinha uma história mais original pra contar, não? Já vi uns cem filmes com esse roteiro. Se não tem o que escrever, não escreva...
- Espere, tenha calma, esse ia ser diferente. A história da lição, eu ia desenvolver essa parte, se alguma lição ficaria...
- Que lição, cara! Deixe de ser babaca. Não tem lição nenhuma! Sou apenas uma miserável formiga que entrou onde não devia. E tire esse mouse de cima de mim, já está incomodando!
- Mas você não adquiriu poderes aí? Até já consegue falar!
- Poderes? Falo com você porque você está escrevendo que eu estou falando...
- Espere, então não é real? E o mouse?
- Você também escreveu isso.
- Então não vai ter lição nenhuma?
- Se você inventar, talvez sim. Mas eu não acreditaria, nem me daria ao trabalho de ler...

De repente vejo a formiguinha novamente se esgueirando entre as teclas para voltar ao mundo real. Assim que a vi, cravei o polegar em cima dela.

- Não tem lição nenhuma, hein?

Morreu por excesso de auto-confiança. Ou seria auto-consciência?

Mas antes, ainda levantou a cabeça e murmurou:

- Só porque criou uma polemicazinha, já acha que pode escrever qualquer coisa.

Foi quando percebi minha falta de auto-confiança. Ou seria de auto-consciência? Por via das dúvidas, terminei de esmagá-la.