A Barbárie dos Tempos Modernos

quinta-feira, fevereiro 19, 2004

Qual a melhor religião?

Não há resposta para a pergunta do título, ou pelo menos não há uma resposta objetiva. Primeiro, é preciso distinguir o que é e o que não é religião. Ultrapassada essa fase, percebemos que há aspectos contraditórios mesmo entre as verdadeiras religiões. Essas contradições, a princípio, obrigam o fiel a se ater a apenas uma delas, ou pelo menos é o que parece mais sensato. Entretanto, no que diz respeito ao seu estudo, não seria insensato conhecer algumas ou até mesmo todas elas. O problema central consiste no seguinte: ao estudar uma religião de um ponto de vista apenas filosófico, perdemos muito do que ela pode nos proporcionar. Daí ser impossível comparar religiões partindo de um princípio adequado, que seria o da vivência de cada uma delas.

A religião tenta descrever o mundo de maneira "real", entretanto não acredito que nenhuma delas consiga nos dar uma visão simbólica de 100% da realidade. Há um grau maior e menor de aproximação dessa realidade em aspectos particulares de cada uma delas.

Na religião cristã, por exemplo, Cristo é o filho de Deus e o Verbo encarnado, para o Islamismo é apenas mais um dos profetas. É óbvio que uma das duas está errada a esse respeito. E não adianta dizer que, sob certa circunstância, as duas visões estão corretas. Não estão, nem podem estar. Mas pode ser que aquela que erra neste ponto, acerte em outro, na qual a outra está errada. E ainda há os aspectos não contraditórios, que podem ser até unificados de um certo ponto de vista.

O problema é que a doutrina de cada religião só tem valor se considerada em seu conjunto. Portanto, o fiel não pode nem deve sair distinguido o que acha certo e o que não acha e seguir um pouquinho de uma e um pouquinho de outra religião. Será um eterno herege se assim o fizer.

E o que determinará a religião que o fiel deve seguir? Primeiramente, o aspecto histórico-cultural. Se eu tivesse nascido no Japão, muito provavelmente não seria cristão. E é justamente por isso que não consigo admitir que uma única religião esteja correta e todas as outras erradas, pois Deus não restringiria o acesso de uns a Ele, enquanto facilitaria enormemente o acesso de outros.

Aqueles que nascem dentro da tradição judaica não terão acesso, por exemplo, aos ensinamentos de Jesus Cristo, mas, para eles, os ensinamentos da Torá serão suficientes para ligá-los à verdadeira realidade.

Pode até haver uma religião melhor que as outras, mas o certo é que não se pode demonstrar isso. Não por impossibilidade lógica, mas existencial.