A Barbárie dos Tempos Modernos

quinta-feira, março 25, 2004

Coisas que um ateu nunca entenderá

Para aqueles que acham possível explicar o mundo sem recorrer à religião, leiam esta de Chesterton: "A moralidade não começou quando um homem disse ao outro 'eu não te baterei se tu não me bateres'; não há nenhum indício de que tal acordo tivesse sido feito. Há, porém, indícios de dois homens que disseram 'não devemos brigar em lugar sagrado'." E assim vão por água abaixo as teorias de Rousseau e Hobbes. Ah, e a de Kant também. Falando nisso, poucas vezes tremo em minha vida, mas uma das ocasiões mais difíceis de evitar é quando falam em moral laica. Imagino o sujeito que diz moral laica com aquela mesma cara de um garotinho de 9 anos a quem o pai acabou de explicar a estória da cegonha.

E não acaba aí, tem mais: "Os homens não cultivaram a limpeza. Purificaram-se para o altar e verificaram que tinham ficado limpos." Mas como poderá entender tudo isso um sujeito que pendura mandalas na parede da sala?