A Barbárie dos Tempos Modernos

sexta-feira, maio 07, 2004

É preciso evoluir

É engraçado como falam da teoria da evolução como se fosse algo comprovado. Se você chega para um evolucionista e diz que 99,9999999999% das mutações registradas até hoje só resultaram em seres deficientes e que não tiveram a menor chance de perpetuar a sua alteração genética, ele lhe pede para ser paciente, porque tudo ocorreu muito aos pouquinhos.

Qualquer um que tenha bom senso fica meio intrigado com a idéia de que um dia o homem tenha sido algo como uma ameba. Mas aí, novamente, vêm os evolucionistas e explicam que a coisa se deu muito devagarinho. "Você não acredita porque acha incrível as diferenças entre os seres e não entende como podem ter mudado tanto". Não, não é nada disso. A transformação do girino num sapo e da lagarta em borboleta também é impressionante, mas não se dá aos pouquinhos, e eu posso até assistir ao processo se quiser.

O fato é que não existe nenhuma prova da teoria da evolução, ou seja, de que uma espécie tenha se transformado em outra. Uma vez li uma matéria do Dawkins em que ele dizia que nenhuma descoberta dos últimos séculos colocou a teoria em xeque. Ora, vejam só, essa é a primeira teoria da história que não precisa de dados a favor, só precisa não ter dados contra. Não é incrível que um cientista da categoria de um Dawkins pronuncie uma asneira dessa?

Quando leio, por exemplo, que "Homem, rato e frango preservaram trechos de DNA idênticos", pergunto-me se quem elaborou a frase já parou para pensar o que aconteceria se a idéia de que coisas semelhantes derivam umas das outras fosse generalizada. Pensem e me digam se o cosmos não voltaria a ser visto de forma caótica.