A Barbárie dos Tempos Modernos

sexta-feira, agosto 13, 2004

Primeiras férias

Este blog está de férias por 17 dias. Estará de volta em setembro.

quinta-feira, agosto 12, 2004

O fim do Brasil

Alguns podem dizer que o início do fim já começou há muito tempo. Mas refiro-me aqui a algo oficial. O início do fim do Brasil é o mês de agosto de 2004. A pequena e frágil melhora da economia foi suficiente para que o Governo começasse a tomar todas as medidas autoritárias que sempre planejou. Os tolos que se empolgaram com a política econômica de Palocci não têm mais argumentos a apresentar. Foram feitos de trouxa.

É lamentável ver as pessoas debaterem se devem ou não entregar sua consciência, seu coração, seus órgãos, sua família, sua vida ao Governo ou não. Uns dizem que o fígado tudo bem, mas o rim não, o rim é demais. Outros acham que o coração tudo bem, mas o cérebro não. Uma senhora me disse que o tronco sim, mas os membros não, porque é manicure e pedicure. Uns dizem que o pai tudo bem, mas a mãe não, porque os gerou. Quanto às sogras, já há uma maior concordância, mas nada justifica, nada.

O Brasil já acabou. Para onde vamos agora?

quarta-feira, agosto 11, 2004

Novos planos

O que escreverei daqui pra frente? Já comecei a reler os gibis da Turma da Mônica que encontrei por aqui. Alguém pode me sugerir alguma outra fonte de metáforas?

segunda-feira, agosto 09, 2004

Sexo moderno

Jutaí sentiu que precisava revitalizar seus relacionamentos sexuais. Já não se conformava com suas vinte namoradas, nem mesmo quando elas cediam a seus caprichos. Da última vez, achou entediante a transa com Robertinha debaixo do trator que cavava o quintal do vizinho. E não se animou nem um pouco depois que se deslocaram para o buraco. Também não se empolgou quando a própria Regininha, a mais pacata, sugeriu que fizessem uma orgia com bonecos infláveis, bolas de assopro, câmaras de ar e pneus Pirelli. Acabou estourando tudo, inclusive a Regininha. Um fiasco. Com Paulinha, com quem saltou de pára-quedas, fazendo sexo ainda no ar, acabou se aborrecendo porque ela insistiu em puxar a corda antes de chegarem ao orgasmo, alegando que estavam a apenas cem metros do solo. Decepcionante. Resolveu inovar: traçou o abajur, a banheira, a cerca elétrica, o manual do carro, o laptop, a tampinha do xampu. Quando tentou com o tatu, acabou se satisfazendo com o buraquinho onde ele morava. Mas nada o aborrecia mais do que esse dogma imbecil do mundo moderno de ter que usar camisinha. Tinha certeza que era aquilo que atrapalhava tudo!

Ah, ia esquecendo. Ele gostou mesmo foi de Koko, até ela começar a reclamar de dor de dente.

A Vaidade contra a Verdade

Nossa vaidade congênita, especialmente suscetível em tudo o que diz respeito à capacidade intelectual, não quer aceitar que aquilo que num primeiro momento sustentávamos como verdadeiro se mostre falso, e verdadeiro aquilo que o adversário sustentava. Portanto, cada um deveria se preocupar apenas em formular juízos verdadeiros. Para isto, deveria pensar primeiro e falar depois. Mas, na maioria das pessoas, à vaidade inata associa-se a verborragia e uma inata deslealdade. O interesse pela verdade cede por completo o passo ao interesse da vaidade.
Arthur Schopenhauer

Na maior parte dos casos, um homem tanto mais gesticula e dramatiza em defesa de suas opiniões quanto menos está seguro delas por dentro, por não as haver examinado bem. Por isso mesmo, é bom lembrar ao leitor, com insistência, que a capacidade de argumentar, por necessária que seja nas circunstâncias práticas da vida intelectual, é habilidade menor e derivada em relação ao perceber e ao intuir; que mesmo a prova, no sentido da demonstração apodíctica, é apenas serva e discípula da verdade intuída; que mais vale saber sem poder provar do que produzir um milhão de provas daquilo que, no fundo, não se intui de maneira alguma.
Olavo de Carvalho

Os ateus também amam a Deus

Todo ato de conhecimento é um ato de amor. E, em última instância, esse amor é um amor a Deus. Só pode conhecer quem ama. A segunda condição para o conhecimento é a humildade. Só pode conhecer quem é humilde, ainda que depois não mostre humildade diante do que conheceu. É por isso que mesmo os ateus quando conhecem, só conhecem por que têm amor a Deus e são humildes, ainda que em grau inferior ao de um cristão, por exemplo. O amor a Deus é imperativo. Quem não ama a Deus nunca conheceu nada, e não há homem sem um mínimo de conhecimento.

quinta-feira, agosto 05, 2004

Aborto de anencéfalos

O Oito Colunas volta a ser atualizado 2 vezes por semana a partir de hoje com o novo artigo de Rodrigo Pedroso. Se fosse vocês, não deixaria de ler. É sobre a polêmica do aborto de fetos anencéfalos. Excelente!

terça-feira, agosto 03, 2004

Bonzinho e mentiroso?

A única reação que consigo ter quando ouço as pessoas dizerem que Jesus Cristo foi apenas um homem que deu bons conselhos à humanidade é a de gargalhar. Não consigo me controlar. Chego a rolar no chão quando completam que gostam de seguir seus consehos, mas não porque acham que ele fosse o filho de Deus e sim porque os conselhos são bons. Que crédito merece um homem que mentiu tão levianamente? Que crédito merece um homem que disse ser o filho de Deus sem o ser? Se ele não fosse realmente o filho de Deus, não apenas não seguiria seus conselhos como procuraria investigar a maldade por trás deles.