A Barbárie dos Tempos Modernos

segunda-feira, junho 06, 2005

Quando rola a energia...

A primeira vez foi na piscina com a namorada. Estavam juntos há apenas 15 dias. Não foi um beijo como os outros. Ele sentiu que rolou uma energia diferente, mas não metaforicamente, porque João Carlos não apenas viu como doeu quando o raio de luz emergiu de seu peito. Era ela! A princesa da sua vida! Finalmente a havia encontrado. Perguntou se ela não sentiu o mesmo. Não, nem conseguia entender o que ele dizia. Impossível, como não percebeu? O fato é que nem tinha gostado muito do beijo.

Quis tirar a dúvida: beijou a primeira garota que encontrou na rua. Com exceção da dor do tapa que levou no rosto e das costumeiras estrelinhas que ocupam a visão nessas horas, nada de extraordinário. Contou a história a um amigo, que ficou empolgado. Que dom fabuloso! Pediu a João para lhe ajudar a descobrir se a sua namorada também era sua cara-metade. Era um pedido um tanto estranho, mas aceitou. A técnica era a seguinte: ele dava a mão ao amigo enquanto ele beijava a namorada. E então viu novamente. Uma luz, dessa vez avermelhada, partiu de seu tórax e desapareceu entre as nuvens.

A história se espalhou. Passou a ser requisitado para todos os encontros dos amigos com as namoradas. Ninguém que o conhecesse arriscava a se casar sem a sua avaliação. João começou a entender o significado das cores e da intensidade da luz. E dava conselhos baseados nesses critérios. Um deveria ser mais paciente, o outro menos farrista, a namorada de um mais compreensiva, a de outro menos agressiva, etc.

Certa vez, alguém lhe ligou relatando que seus conselhos foram muito bons e que sua mulher era mesmo maravilhosa, mas precisavam melhorar a relação sexual. Ficou de mãos dadas com o cliente enquanto ele transava com a esposa. Sentiu a dor, viu a luz e fez algumas recomendações. Ficaram satisfeitíssimos. Passou a ser requisitado também por grupos de swing e clubes de orgia. Nunca participava, ficava atento e organizava os casais, os trios e etc. de acordo com as cores e a intensidade da luz que saía do seu peito.

Começou a dar palestras e a atender pela internet. Exigia apenas que o cliente mantivesse a mão sobre o mouse durante o beijo, a relação, a orgia, etc. Não tardou a surgir quem se especializasse em ?técnicas de relacionamento com a mão sobre o mouse?, até que uma empresa fabricou um pequeno mouse sem fio que aderia à mão.

***

Enquanto terminava seu décimo primeiro livro de sucesso, João Carlos pensava em Manuela e no beijo na piscina. Por onde andaria?